comércio tradicional: agonia e morte anunciada

Comércio Tradicional

comércio tradicional: agonia e morte anunciada

Parece demasiado trágico este título, não?

Mas as notícias que chegam a público parecem querer confirmá-lo! Será que alguém, alguma vez, se debruçou seriamente sobre os verdadeiros problemas do "comércio tradiconal português"? Será que algum dia, alguém, deu um salto até outros países da União Europeia para tentar perceber como sobrevive e prospera o comércio tradicional fora de portas? Posso estar a falar sem o intrínseco conhecimento aprofundado dos meandros do funcionamento do comércio mas, a meu ver, o problema do comércio tradicional português é um problema de umbiguismo. É um problema de mentalidade egocêntrica que faz com que o comerciante não consiga entender que para "prestação de serviços" deve ter o seu tempo e espaço preparados para servir o cliente e não "servir-se" do cliente. O comerciante tradicional português entende que deve ter um horário de trabalho igual ao dos seus clientes, das 9h00 às 17h00, por exemplo, com direito a pausa para almoço igual à dos seus clientes, das 13h00 às 14h00, por exemplo. Faltando-lhe a percepção de que a maioria dos seus potenciais clientes está na rua, pronto a fazer compras, precisamente nos horários em que tem o seu espaço comercial Fechado. Não aprenderam nada com os Shoppings? Julgam que é na "concentração de grande número de lojas" que os shoppings roubam clientes ao comércio tradicional? Julgam que nos shoppings se conseguem fazer preços mais acessíveis porque as lojas são de grandes grupos que compram à tonelada e vendem depois ao desbarato? Se julgam então ponderem isto:
- algum shopping, ou loja de shopping, que conhecem abre às 9h00 e fecha às 17h00? Ou às 19h00? - algum shopping, ou loja de shopping, que conheçam fecha para o almoço? - alguma loja de shopping tenta pagar todo o produto em armazém com as primeiras 3 vendas?
Os shoppings surgiram porque o mercado tradicional permitiu a criação de um espaço no mercado para que eles se introduzissem.
shopping
  São pouquíssimas as lojas tradicionais que se adaptaram às necessidades dos seus clientes. Só as vemos a espaços, em locais de comércio por excelência, seja na baixa lisboeta ou na rua Santa Catarina, por exemplo, que mesmo assim têm, sempre, o seu número de lojas com os horários de atendimento de "expediente". Mesmo nas conhecidas ruas de "comércio tradicional" verificamos que são as lojas de grandes marcas que seguem a toada de horários de funcionamento ininterruptos. Horários que permitem fazer umas compras durante a hora do almoço, depois de sair do emprego, a caminho de casa, sem ter que fazer um desvio de algumas horas para ir a um hipermercado ou ter que marcar um dia de fim de semana para ir ao shopping fazer compras. Vejam o exemplo dos nossos vizinhos espanhóis: abrem às 10h00, fecham às 15h00 ou 16h00, reabrem às 19h00 e fecham às 21h00. porquê estes horários? Porque resultam, porque têm os potenciais clientes na rua, prontos para fazer compras, e abrem ao sábado e ao domingo, folgam durante a semana, por exemplo. Conseguem imaginar algo mais deprimente, do ponto de vista do comércio, estar a descer uma rua cheia de lojas, e todas elas fechadas? Vocês querem fazer compras, vão comprar onde? Ao shopping, pois claro... e depois vem o comerciante de rua queixar-se que não tem clientes! Ó senhor comerciante, o pessoal trabalha, sabe? A gente primeiro tem que ganhá-lo para depois gastá-lo, sabe? Abra a loja a horas decentes para um gajo ir às compras que um gajo vai às compras, não tenha dúvidas! O comércio tradicional queixa-se que o estão a matar... engana-se, está a suicidar-se lentamente, essa é que é a verdade! E até aqui falamos, apenas, de parte do problema, não entremos pois nas divagações económico-financeiras que envolvem o comércio tradicional, nomeadamente a procura do lucro rápido, imediato! Essa é areia para outra camioneta de palavreado!
15 Comentários
  • Comercio Tradicional
    Publicado em 17:46h, 25 Agosto Responder

    http://www.facebook.com/comerciotradicionalsjm , esta página é o começo de um projecto de movimento de mudança nos comerciantes de nossa cidade, só dependerá da adesão (ainda por cima totalmente gratuita :UNIÃO) , caso isto não siga para frente, aí sim eu própria digo : O comércio tradicional tem o que merece , não tenham pena!

    • Gilberto Pereira
      Publicado em 13:59h, 27 Agosto Responder

      Estão no bom caminho, parabéns! Já sou fan 🙂

  • vitor oliveira
    Publicado em 19:26h, 25 Agosto Responder

    Ora bem,eu não sei qual é a sua profissão,mas porque não experimenta você trabalhar fora das horas de expediente normal?eu não conheço nenhuma mercearia nos tempos actuais que feche á hora de almoço!E ademais,porque é que não existem bancos a abrir ás 19h00 até ás 21h?e ao fim de semana?Vc pelos vistos nunca foi ao banco,...deve estar sempre a trabalhar...e aos correios?para si devia ser excelente ,já que você trabalha e nunca pode ir aos correios...já para não falar nos serviços publicos, que se calhar até fecham ás 21h00 e eu nem sei!olhe,até acho que a escola dos nossos filhos poderia ter um intervalo ao fim da tarde e prosseguir das 19h00 até ás 21h00.Pois parece que os comerciantes só trabalham bem nas horas fora do expediente!É pena vc não dizer o que faz na vida, gostaria imenso de saber o que faz e porque é que não o faz nas horas que você indicou para o comercio!Vem com esses comentários infelizes,e garantidamente que qualquer comerciante trabalha mais horas do que você, e pelas palavras que usou ,você de certeza absoluta que não é empregador mas sim empregado de alguma empresa desconhecida por mim!E você é engraçado quando se refere aos preços dos produtos...gostaria que você tivesse uma loja aberta com produtos que voce compra por exemplo ao fornecedor oficial por 100 euros e visse no shopping á vendapor 105 ou 110 ou até 120!Se incluirmos a taxa de iva na venda do produto,faça as contas e explique como é possível.Mas voce deve trabalhar mesmo muito,inclusive aos sabados,já que as mercearias se calhar em 90% do território nacional estão abertas ao sábado!Eu tenho 2 empregos ,trabalho 14 horas por dia,inclusive fins de semana, e no entanto ainda consigo fazer compras no comercio tradicional e também faço em shoppings.Uma coisa lhe digo,se não permitissem a construção de tantos shoppings, acredite que o comercio tradicional seria diferente.Pela sua opinião,há 20 e tal anos atrás,ninguem devia fazer compras,visto que não havia shoppings, ou então o povo era tudo uma cambada de malandros que não trabalhavam como você trabalha e que tinham tempo suficiente para ir ás compras!
    Para finalizar companheiro, acho você não percebe patavina do que está para ai a apregoar, e é pena que muita boa gente pense como você , que as grandes multinacionais é que é bom, e o resto não presta ,mas acredite ,por haver pessoas como você há mais estabelecimentos a fechar no nosso país do que pessoas empregadas nessas superficies a trabalhar! Pense e reflita no que diz!

    • Gilberto Pereira
      Publicado em 13:58h, 27 Agosto Responder

      Antes de entrarmos nas respostas: Olá, o meu nome é Gilberto e sou técnico de turismo... pode saber mais sobre mim se clicar ali em cima, onde diz "eu por cá". Agora vamos a isto:

      ponto nº 1: os bancos não fecham à hora de almoço (idem aspas nos serviços públicos... que merecem por si só um texto à parte porque o seu funcionamento também é vergonhoso!)

      ponto nº 2: em que século vive o Sr para que justifique uma "ida aos correios"? Vai lá fazer o quê? Levantar a reforma? (tem tempo!), Levantar correspondência (não deve ter carteiro!), enviar correspondência? (compre envelopes pré-pagos e em qualquer altura coloca o envelopezinho na caixa de envio correspondente!) - o comodismo é uma praga que deve ser erradicada meu caro.

      ponto nº3: bastante limitador esse pensamento de que o "comércio tradicional" é só "mercearias", não? Ou será que a realidade para si é conforme convém que seja?

      ponto nº4: qual é a relevância de eu trabalhar, ou não, numa empresa desconhecida por si? Confesso que esta não entendi mesmo...

      ponto nº5: compra ao fornecedor "oficial" a 100 com IVA ou sem IVA, sabe ao menos como funciona o mercado de bens transaccionáveis?

      ponto nº6: em ponto algum defendo "multinacionais", muito pelo contrário, este texto até aponta algumas soluções para contrariar o declínio do comércio tradicional.

      ponto nº7: o mal do "comércio tradicional" não foi permitirem construir tantos shoppings, foi o "comércio tradicional" não acreditar no modelo de funcionamento e não o procurar adoptar antes que os shoppings dessem por si. E tiveram muito tempo. Quando em 1975 se inaugurou o shopping da Portela os comerciantes poderam ver o que o futuro lhes reservava...mas mesmo nesse tempo os horários não eram alargados conforme o são hoje nesses espaços comerciais. A década de oitenta é que trouxe o boom dos shoppings e só nos anos noventa é que se começou a levar a sério o modelo de funcionamento em períodos de tempo alargados. O que fez o "comércio tradicional" em quase 50 anos de evolução dos shoppings? NADA! Ficou paradinho no tempo, a pensar "essa merda não vai dar nada", e agora vê-se o resultado...

      ponto nº8: tem todo o direito à sua opinião, como eu tenho à minha. A sua vale o que vale, a minha também... se entende o que eu percebo ou se recusa a perceber o que eu entendo não há mal ao mundo.

      Obrigado e volte sempre, este espaço está aberto 24 horas por dia, e outras 24 horas à noite. 😉

  • Ricardo Mota
    Publicado em 02:33h, 28 Agosto Responder

    Ora bem... este é um tema que a mim me suscita muito interesse particularmente..., mas não podemos reduzir as dificuldades do comércio tradicional ao horário nem aos centros comerciais... o problema vai muito mais além:
    - Estacionamento - As camaras municipais ajudam a esvaziar as lojas com a cobrança de estacionamento.
    - Mudanças no Transito - O aumento do nº de auto estradas vem retirar clientes ao comercio tradicional em especial nas cidades periféricas dos grandes centros.
    - Idade - O comércio que está em pior estado é normalmente micro empresas em que o propietário é o unico funcionário e que não tem condições para fechar, doar, ou suceder...
    - As Associações comerciais - deviam defender mais o comércio tradicional devido a sua natureza, são pessoas que trabalham muitas vezes de sol a sol e não têm tempo de se informarem sobre apoios subsidios formação, etc. não podem existir apenas para organizar festas de natal...
    - Meteorologia - O comércio tradicional não é atraente quando chove e não se consegue estacionar em frente á porta...
    - Horário - infelizmente manter o comércio aberto na hora de almoço implica ter mais um funcionário pelo menos e nem sempre isso é viavel...
    - Custos - o comércio tradicional tem muito mais custo por vista de cliente do que uma loja de centro comercial, está na sua natureza mas não é por isso que são mais caros.
    - Formação - Apesar de tudo o comércio tradicional tem na sua essência gente de trabalho mas na sua maioria com pouca formação académica, não que isso seja necessário para servir um cliente mas ajuda a atrair mais clientes e a fazer melhores negócios.
    Penso também que os nosso ultimos governos não souberam dar importancia ao comércio tradicional, a quantidade de pessoas que trabalha no comércio tradicional ultrapassa em muito o nº de funcionários de todos os centros comerciais juntos.
    Em alguns ramos o futuro passará por criação de cooperativas ou fusão de lojas em vários pontos do país em rede de forma a poderem ser mais fortes em conjunto do qe em separado...
    Para bem do nosso país espero que o Comércio tradicional comece a ser olhado com outros e melhores olhos.

    • Comercio Tradicional
      Publicado em 09:24h, 29 Agosto Responder

      Olá Ricardo, essa mudança deve partir dos próprios comerciantes, se eles próprios não mudarem, como quererão que o consumidor mude seus hábitos? Temos que dar motivos, e temos tudo para conseguir isso, encontramos uma solução , um ponto de partida, só dependerá da vontade e do interesse...

      • Gilberto Pereira
        Publicado em 10:18h, 29 Agosto Responder

        Tem toda a razão. A iniciativa deve partir dos comerciantes... da mudança de hábitos... da compreensão de que devem ir de encontro às necessidades dos seus potenciais clientes.

    • Gilberto Pereira
      Publicado em 10:01h, 29 Agosto Responder

      Bem vindo caro amigo.
      De facto limitei-me à polpa da questão...

      estacionamento - concordo, mas horários alargados de funcionamento, ou outros horários, permitem umas horas dentro do "free parking" (por exemplo: domingos!)

      mudanças de trânsito - acessibilidades, ok. Mas repara que os "locais" também evitam o comércio à porta de casa... mais um problema de "horários".

      meteorologia - certíssimo... já viste as filas de trânsito nos parques cobertos dos centros comerciais em dias de chuva? (de resto, sobram pelo menos uns 6 meses de metereologia amena!)

      associações comerciais: conheço uma pessoa que esteve na AC de SJM... encheu um autocarro de comerciantes e foi até Espanha explicar o funcionamento de espaços comerciais em horários "mais atractivos"... sabes o resultado dessa iniciativa? 🙂

      horário - exemplo curriqueiro: Lojas de chineses! Não fecham à hora do almoço, estão abertos, muitas vezes, até às 21h, sábados e domingos também... alguns têm funcionários nos horários "normais", nos restantes é o dono da loja ou a família que mantêm a casa aberta ao público! Gastos com pessoal?? Não há, desta forma...

      formação: concordo plenamente, falta muita formação a muita gente... mas há vícios enraizados neste tipo de comércio que faz com que, até gente com mais formação, continue a perpetuar este tipo de funcionamento.

  • vitor oliveira
    Publicado em 01:15h, 02 Setembro Responder

    Uma coisa é certa, vejam os clientes que visitam o shopping no horario normal de funcionamento do comercio,ou seja,das 9h00 até ás 19 h00 de segunda a Sábado e depois digam-me se o pessoal não continua a ir ao shopping na mesma,mesmo estando aberto o comercio tradicional...Já que a formação é um posto para poder avaliar as diferenças do comercio tradicional com o comercio feito em grandes centros comerciais, façam um estudo para ver quantas pessoas em determinada área geográfica em que esteja inserido um grande centro comercial,em proporção do nº de lojas/nºde clientes ,comparativamente com o comércio tradicional,no horário normal do comercio tradicional!
    Caso não saibam,mas isso devem saber por experiência de visitarem os shoppings, que as lojas basicamente assentam em 3 grupos distintos de comercio, que engloba a restauração ,vestuário(junte-se o calçado neste grupo) e acessórios para casa.Concerteza que existem outro tipo de lojas,mas posso afirmar com a mais pura das ignorancias,sem formação universitária mas com alguma observação visual,que 80% ou mais das lojas, nas dezenas de shoppings que visitei ,estão inseridas neste grupos.E claro,sempre conectados com grandes supermercados.Digam-me um grande shopping neste país que não tenha um Continente,Jumbo,Feira Nova, Pingo doce,etc.Se conseguirem achar algum,dou os meus parabéns.Para quem morar na Zona Norte do país, caso não saibam ,e com mais de 30 anos,provavelmente a grande maioria visitou o famoso Brasília ,na boavista,o bom sucesso que é mais ao lado, o Dallas (que já encerrou), entre montes e montes e montes deles,que funcionavam ao DOMINGO! ou melhor,todos os dias ininterruptamente!Será que são todos burros e com falta de formação que trabalhavam nesses shoppings?Portanto,o comodismo não é dos comerciantes,mas sim dos clientes que não estão para se deslocar de porta em porta ,na rua á procura do que precisam,se têm tudo no mesmo local,e com estacionamento gratuito!Um cliente quando quer comprar roupa vai a sítios onde tem uma concentração grande de espaços comercias a vender roupa todos juntos(o conforto do comodismo dos clientes,que caminham 50 metros e passam por 10 lojas de roupa),se depois quiserem lanchar ou jantar,caminham mais 50 metros e têm mais de 20 restaurantes e cafés ao gosto do freguês.Com mais de mil lugares de estacionamento gratuito na maioria dos shoppings,(calculem isso em distancia no estacionamento no comercio tradicional),com um supermercado,com restauração de todos os tipos e feitios,quem é que vai ao comercio tradicional? mais um exemplo,a rua santa catarina no porto,é um exemplo vivo que o comercio tradicional pode funcionar.e pq?PORQUE num espaço de alguns metros(na zona pedonal,há uma grande concentração de lojas),ou seja o cliente tem tudo perto,ou seja,mais conforto e comodismo.O problema meus amigos,não está no horario nem nas ideias dos comerciantes tradicionais,mas sim no comodismo(que se compreende perfeitamente devido aos exemplos atrás) dos clientes que têm tudo á mão..Se experimentarem abrir uma zara numa loja exterior de comercio tradicional,que esteja perto do centro de uma grande cidade,ela vai funcionar bem,mesmo no horario normal.se forem ao mcdonalds no exterior dos shoppings,no horario normal de restauração(que por acaso é bastante semelhante ao dos shoppings ),a facturação também é elevada.
    O problema,meu caro amigo Gilberto,não falando por si porque o senhor pode ter a sua ideia,mas faça um pequeno questionário,a varias pessoas de varias idades e estratos sociais, em que é que atrai mais nos shoppings,se o horario ou a facilidade de acesso a vários tipos de comercio e serviços num pequeno espaço?

    • Gilberto Pereira
      Publicado em 20:37h, 11 Setembro Responder

      Meu caro... se fizer uma visita a um "shopping", de segunda a sexta, das 9 às 19 (horários "habituais" no comércio tradicional) o movimento nas lojas é equivalente... o maior movimento que irá ver é nas "praças de alimentação", onde se concentram maioritariamente os funcionários das restantes lojas que fazem as suas refeições por turnos... assim como outras pessoas que trabalham próximo e aproveitam para almoçar... o fluxo de clientes aumenta a partir das 19, precisamente! E os shoppings abrem às 10 da manhã.

  • Catherine
    Publicado em 23:40h, 04 Setembro Responder

    Vitor, podes ter toda a razão falando de comodismo das pessoas, mas passo a fazer-te uma pergunta: os comerciantes de rua até hoje fizeram alguma coisa que chamasse atenção ás pessoas? fizeram alguma coisa que desse motivos para que as pessoas mudassem os seus hábitos? Vitor eu tenho a solução, mas parece que os mais comodistas não serão os clientes...Com muita tristeza minha, entreguei-me neste projecto de "corpo e alma",em 600 comerciantes existentes na cidade 3 ou 4 comerciantes mostraram ter noção das coisas, os restantes parecem viverem no mundo da Lua egocêntrica...Mas o meu projecto vai servir para alguém, se os comerciantes não o quiserem agarrar, vai servir para ajudar as pessoas que estão neste momento no desemprego, esperem para ver, minhas ideias não param, e Não desisto dos meus ideiais embora tão mal me façam..

    • Gilberto Pereira
      Publicado em 21:53h, 11 Setembro Responder

      deixou-me curioso Catherine... não quer falar mais sobre esse projecto? Clique ali em "contactos"

    • cutchi espinho
      Publicado em 00:38h, 06 Junho Responder

      ainda existe esse projecto ?e qual é? estou interessada em ideias e projectos interessantes.

  • cutchi espinho
    Publicado em 00:35h, 06 Junho Responder

    pois mas por exemplo eu tenho uma loja em Espinho e abro as 10 da manha de segunda a sábado e fecho as 20,00 em Espinho e...n anda ninguém as compras esta tudo no modelo a comprar ou em casa a fazer o jantar....mas não desisto...

Publicar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Pin It on Pinterest