7 Mitos de marketing no facebook que vão afundar uma campanha

7 Mitos de marketing no facebook que vão afundar uma campanha

facesink
Apesar de a maioria dos marketers acreditar que destrincou todos os segredos do Facebook, a verdade é que, não podiam estar mais longe da verdade. O Facebook assumiu um papel enorme nas vidas das pessoas, um papel, até, fundamental, um papel ao qual os marketers não ficaram indiferentes. Os marketers tomaram esta rede social de assalto, utilizando-a como uma ferramenta essencial em qualquer estratégia de marketing. Apesar da importância que o Facebook assume nas estratégias de marketing actuais, existem várias ideias erradas acerca do funciona ou não funciona, nesta rede social. Vamos debruçar-nos sobre sete ideias básicas que poderão estar a prejudicar as suas estratégias de marketing.

1. Pagar pelos “gosto” é uma boa forma de obter uma base de fãs.

Não se deixe enganar! Uma base de fãs, verdadeiros fã, leva o seu tempo. É construída com base na sua comunicação com o público, é natural que queira um grande número de “gosto” logo que se lança no Facebook mas… estes “gosto” pagos serão mesmo sinceros? Serão mesmo seus fãs estes a quem pagou para fazer o “gosto”? De certeza que a sua presença no mural destes “fãs” não se fará notar, não existe uma relação entre si e o seu fã. Não existe comunicação, você obteve um serviço a troco de um valor e a coisa fica por ali. Estes “gosto” são tão falsos como uma moeda de 3 euros! E serão prejudiciais para si. Não existindo uma relação de comunicação, de afinidade, com estes fãs, não irá existir interacção. Não irão existir partilhas daquilo que você está a promover junto destes fãs. Como a interacção (“gosto”, partilha, comentários…) origina o score de afinidade do algoritmo do EdgeRank, está-se mesmo a ver no que isto dá! A autenticidade e a verdadeira interacção com os fans é que irá tornar real a sua base de seguidores, e isso é que lhe trará mais, e verdadeiros, “gostos”.

2. A sua foto de capa deve ser um anúncio ou publicidade ao seu negócio.

Pode parecer natural fazer uma utilização óbvia, e intuitiva, de tão grande espaço que salta logo à primeira vista, mas não foi para isso que o Facebook lhe “deu” tanto espaço. As próprias regras de utilização do Facebook dizem que a imagem de capa não pode ter preços ou informações de compra, informações de contacto (endereço de website, email, endereço físico…) ou qualquer outra informação que deve estar na página “Sobre…”. Também não pode fazer referência a elementos do interface do Facebook (“gosto”, “partilhe”, etc…) ou chamadas de atenção como “compre já”, “partilhe com os amigos”… Uma opção mais sensata será uma fotografia de qualidade, dos seus produtos ou de um estilo de vida que reflicta a atitude da sua marca. Um gráfico sobre a sua empresa também resulta. Desta forma você continua a partilhar o que quer vender, ou comunicar. Além do mais, utilizando uma imagem que desperte a curiosidade dos utilizadores, vai conseguir que naveguem mais tempo na sua timeline o que poderá originar mais interacção.

3. Pode-se promover/fazer qualquer coisa no Facebook

Muito embora seja uma rede social e aparentemente informal e relaxada, existem regras a seguir no que toca a conteúdos e promoção. Vamos falar de negócios legítimos, colocando de parte conteúdo ofensivo ou spam. Se quer fazer um concurso, que permite uma óptima interacção com os fãs e uma grande animosidade em torno da sua marca ou produto, existem regras a seguir. Além destas regras existem também as ramificações legais associadas a concursos e jogos sobre as quais se deve informar para precaver qualquer problema. As regras não serão um problema em si mas, tome conhecimento delas para não ter surpresas desagradáveis.

4. Deve oferecer recompensas para obter fãs

Numa gíria fácil de entender: isto é colocar a carroça à frente dos bois. Claro que você quer mais fãs e seguidores pode obtê-los oferecendo algo interessante em troca disso mas este “algo interessante” pode ter muitas formas! Depois de ganhar o “gosto”, manter este fã e ganhar a sua lealdade é que vai melhorar a sua pontuação no EdgeRank e manter clientes offline também. Se alguém vai ganhar alguma coisa ainda antes de fazer o “gosto” não vão haver muitas razões para voltar, pois não? Se você oferecer, regularmente, acesso a conteúdos exclusivos, convites a lançamentos de novos produtos ou descontos, pode ter a certeza que irá ter mais visitas e mais retornos dessas visitas.

5. O marketing no Facebook é grátis

Sim, o registo é grátis, construir perfis, páginas e desenvolver aplicações também é grátis. Existem várias coisas grátis, que pode fazer no Facebook. Mas quem lhe possibilita tudo isto está a investir o seu tempo e, como sabemos, tempo é dinheiro. Os Media Sociais são um pilar do marketing online e por isso justificam o tempo despendido. Acredite que é necessário muito tempo para construir e manter uma presença de qualidade no Facebook, e em qualquer sítio online. O marketing no Facebook necessita de atenção e por isso é que as empresas têm um especialista neste tipo de media ou então contratam uma agência para a manutenção da sua presença. Para além de tempo investido, existem inúmeras formas de anunciar no Facebook que são pagas. Se procura uma Estratégia de Marketing em força, considere os anúncios PPC (pago-por-clique) e as publicações promovidas.

6. A sua página no Facebook deve duplicar o seu Website.

É por demais evidente que deve manter a sua marca de forma consistente, em linha com o seu website e com um estilo único e uma imagem transversal a todos os meios de comunicação. Mas o Facebook é uma oportunidade de desenvolver a sua comunicação por medida, com concursos, conteúdos específicos, fotos e imagens para os seus fãs. Através do Facebook Insights você consegue identificar as publicações que obtêm maior interacção e até mesmo pelo feedback obtido nos comentários a determinada publicação. Também é importante saber distinguir, e bem, a sua “voz de vendedor” da sua “voz social” lembre-se: no seu website um simples “compre já” pode ser suficiente, mas no Facebook você tem um meio bidirecional, de diálogo, onde simples directivas de venda poderão não funcionar. No Facebook a interacção dá-se em tempo real, dia-a-dia, onde os seus fãs discutem, criticam, elogiam os seus produtos, as suas publicações. O seu website é um marco da sua identidade online, não um ponto de paragem regular dos seus fãs. Quando os seus fãs vêem uma publicação sua, no feed de notícias, querem mais do que uma ligação para o seu website, ao oferecer diferentes conteúdos ou efectuar actualizações no seu website isso torna-se notícia, e aí sim, os seus fãs irão procurar a ligação para o seu website, para saber mais.

7. Facebook é só no Facebook

Pode ter começado assim mas… nunca voltará a ser! Com a Graph API e os Plugins Sociais do Facebook, existe agora o potencial de partilhar no Facebook tudo aquilo que os utilizadores fazem fora do Facebook. A Graph API permite que as pessoas “gostem” de produtos e conteúdos selecionados espalhados pela internet e permite a partilha directamente no feed de notícias. O mesmo acontece com os Plugins Sociais, que permitem ainda uma maior interacção, permitindo recomendações e comentários fora do Facebook. Desta forma as empresas podem integrar websites e blogues na sua estratégia social e levar a partilha e divulgação de conteúdos para além da simples publicação de uma ligação.   Fonte: WEHR, Lisa - “7 Facebook marketing myths that will sink a campaign” [consult.15/08/2012]. Disponível internet: Imediaconnection. Imagem original: Tollaner @deviantart
Sem Comentários

As nossas desculpas mas os comentários estão fechados.

Pin It on Pinterest