o circo

o circo

Enquanto Roma se transformava numa bomba relógio, com o constante fluxo de romanos desempregados e esfomeados a afluir na capital do império, o Imperador abria as portas das arenas para promover espectáculos e distribuir pão, evitando a rebelião. O Circo era atulhado de gente que se divertia com lutas de gladiadores, corridas de quadrigas e cristãos atirados aos leões. A fome e a falta de trabalho eram enganadas com estes espectáculos e côdeas de pão atiradas às bancadas esfomeadas... E assim declinava Roma. Aqui, em Portugal, chegamos ao mesmo. O Circo abriu as portas (oficialmente) neste fim de semana, os espectáculos intensificam-se à medida que se aproxima a data do declínio final. O povo é atulhado em autocarros a troco de sacos de comida e prometem-se mundos e fundos a troco de uma cruzinha no boletim para acederem ao rechonchudo tacho. Eles querem ir ao marisco para nos atirarem depois as cascas...
Sem Comentários

Publicar Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Pin It on Pinterest