comercio_tradicional
O mundo digital oferece-lhe grandes oportunidades de fazer florescer o seu negócio e, com algum trabalho, pode ser a sua forma de sobrevivência ao declínio do comércio tradicional. De facto, assistimos de dia para dia a uma luta entre o comércio tradicional e o comércio online. Para os lojistas tradicionais, como se não bastasse já a fuga de clientes para os Centros Comerciais, surge um novo “inimigo”, o comércio electrónico. Muitos, em vez de aproveitarem a oportunidade de expandir a sua loja a um mercado mais abrangente, optam por reclamar sobre inúmeros factores. Outros encaram o desafio e colocam os seusrodutos onde os clientes mais os procuram: online. À distância de uns cliques surge o maior Centro Comercial do mundo, com um infinito número de lojas e produtos! No entanto, o ciberespaço torna-se num pesadelo concorrencial para o comerciante e, ao mesmo tempo, um caos absoluto para o consumidor, deparando-se este último com uma realidade que gera desconfiança, confusão e mesmo medo, na relação comercial.

 A Montramontra

Não pense que uma loja online será simplesmente uma publicação de fotografias e preços, e botões para “adicionar ao carrinho” e “efectuar
pagamento
”. Ao espaço onde expõem os produtos com uma etiqueta de preço chama-seloja tradicional”. Uma loja online vai-lhe dar trabalho para obter sucesso! Na internet são os conteúdos que ditam a lei, é em grande parte através destes conteúdos que vai conseguir destaque nos motores de busca, é este marketing de conteúdos que faz com que você aceda, por exemplo, ao Google e ao escrever “presunto tradicional” lhe apareça logo na primeira página de resultados a ligação para alguma loja “Online”! Sim, este tipo de destaque é, principalmente, conseguido de forma muito simples: produção de conteúdos. É precisamente aqui que a grande maioria dos lojistas-online tem dificuldades. Habitualmente estes conteúdos surgem como insuficientes, desactualizados, padronizados, irrelevantes e sem optimização para os motores de busca (SEO). Como lojista-online, seja proactivo, descubra de que forma os seus produtos são procurados pelos utilizadores e crie conteúdos com essas palavras-chave, não se limite às descrições técnicas e básicas, “de fábrica”, seja criativo e original nos seus conteúdos. E não se limite à página inicial, todas as páginas da sua loja, são “páginas iniciais”! Basta uma palavra-chave e a ligação que aparece no motor de busca vai para a página do produto, não para a sua “página inicial”. Cada página, cada produto, tem o seu próprio conteúdo, único, com palavras-chave para aquele produto ou serviço, isto é a optimização de conteúdos.

O carrinho de compras
carrinho de comprasCabe ao lojista online transmitir absoluta segurança ao consumidor, não só na forma como se efectua a compra – escolha, pagamento e envio/recepção do produto – mas também no acesso a toda a informação pertinente sobre o produto e sobre o modo de funcionamento das operações, desde o momento em que o cliente faz a sua escolha até ao momento em que a recebe em sua casa, ou a levanta na loja. Mas o principal entrave às compras online é mesmo a desconfiança. Esta desconfiança não surge com grande frequência no produto e na sua qualidade ou na loja, surge na hora do pagamento! A experiência com o “carrinho de compras” pode ser o maior entrave para uma venda. A informação deve estar clara e acessível, sem erros. Com uma simplicidade absoluta o carrinho deve conter informação sobre quantidade, preço, imposto(s), pequena descrição de cada produto. Deve haver facilidade no esvaziar do carrinho ou no eliminar de algum produto. Na finalização da encomenda devem estar presentes as diferentes formas de entrega e respectivos valores desses portes assim como um legível e inequívoco total final: “você vai pagar este valor”. Tudo isto sem sair da página do carrinho de compras. Algumas destas características podem parecer pormenores insignificantes mas a ausência de algum pode ser um absoluto “deal-breaker” na compra por parte do cliente.

 

Redes Sociais

socialmediaAgora, caro Sr. Lojista-Online: Pare de fugir das redes sociais!

Junte-se a elas, mas não faça montra! Estas redes chamam-se “sociais” porque servem para socializar! Não se limite a publicar novos produtos ou a descrever serviços. Procure feedback! Crie diálogo, responda aos comentários, às questões, relacione-se com o seu público: “o meu filho também adora as compotas de morango” ou “este vinho tinto cai muito bem com um presunto regional”, interaja, provoque o diálogo!

Crie um blogue na sua loja e publique conteúdos relevantes. Publicite-os nas redes socias, crie passatempos e promoções que envolvam a visita à sua loja, ao seu blogue! Promoções do género “desconto para assinantes do blogue”, “primeiros 10 clientes da semana têm um brinde”, promova a divulgação dos seus produtos, capte a atenção dos seus clientes para que visitem mais vezes a sua loja online ou o seu perfil nas redes sociais!

Esta gestão de conteúdos aliada à interacção conseguida nas redes sociais vai-lhe permitir uma rede de ligações com destino aos seus produtos.

O marketing de conteúdos difundido através dos media sociais e aliado à optimização para os motores de busca (SEO) vai gerar trafego no seu website, facilitando e aumentando o acesso aos seus produtos e serviços, isto é o inbound marketing.

 

E depois de tudo isto, faça de novo! Parar é cair nos rankings dos motores de busca, e isto significa perder clientes. Parar é criar desinteresse nas redes sociais e isto implica perder clientes. As palavras que deve ter sempre presentes, na gestão da sua loja, são: “Actualizar Conteúdos”.